Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Cenas Que Não Interessam a Ninguém...

 

 

 

 

 

Está um calor do caraças e os meus pézinhos desde ontem que não param de reclamar dos sapatos e de andarem tanto tempo para trás e para a frente.

 

Só à bocado tive a noção da cratera que está aberta na Av. de Berna. C’um caneco! Aquilo são infiltrações de água no subsolo ou aterrou ali um OVNI e os serviços secretos não querem que se saiba?

Tinha eu ouvido dizer que se houvesse um abatimento de terra, cabia lá um autocarro… Errr… vá lá, não sejam modestos, todos sabemos que com jeitinho cabe lá uma frota inteira e mais um carrito ou dois…

 

O cheiro que perfumava o meu bus de hoje era o de bolas de Berlim. Sinceramente não sei que me estava a abrir o apetite ou a despertar o vómito. Eu até gosto de bolas de Berlim. De muito poucas pastelarias. Mas acho que tinha preferido um gelado ou uma torradinha. Hummm..

 

Vim sentada ao lado do “Raj”, o rei das índias. Ah pois, é que eu, por acaso, até vejo as novela da SIC. Lamento informar e – quiçá – desiludir, mas eu gosto destas novelas, digamos, étnicas. Ver e conhecer usos e costumes de países exóticos.

Voltando ao assunto, lá vim eu todo o caminho sentadinha ao lado de sua majestade. Mas sua majestade tinha algo estranho: as mãos. Eram género Homem da Atlântida mas só não consegui ver se tinha membranas interdigitais. Ou as membranas estavam recolhidas. Não sei.

 

Mas o pior, pior, pior é que de 10 em 10 segundos o príncipe estava a olhar para o relógio. Agora indago eu, reles plebeia, como é que ele conseguia ver as horas naquele movimento tão brusco e por cima do punho do blusão?

Parece-me que “este príncipe” era mesmo… “exótico”!